Tendências do varejo

As redes sociais são fundamentais na estratégia de marketing de qualquer empresa, seja para B2B ou B2C. Elas são ideais para interagir com seu público-alvo, reter clientes e mostrar a essência da marca, entre outros propósitos, já que funcionam como um espaço on-line que surge do site e convida os consumidores para conversar. As marcas as utilizam cada vez mais e algumas as incorporam como ponto de venda ou atendimento ao cliente. Então, como você pode não querer saber seus segredos?

O interessante é que nem todas as redes se comportam da mesma maneira ou nos aproxima dos mesmos tipos de público. Isso não significa que haja um único perfil de usuário em cada uma delas, mas há certas tendências específicas que concedem diferentes dinâmicas ou regras não-verbalizadas de gerenciamento. Você sabe o quais são? Vamos começar com o Instagram: com suas boas e más práticas para vender mais.

Do que estamos falando quando dizemos Instagram?

Hoje, todas as gerações usam o Facebook. As mães sobem fotos de seus filhos quando começam a ir para a escola, compartilham momentos de suas últimas férias em família e se divertem com vídeos de gatinhos. Já os adolescentes ou Millennials – talvez por essa mesma razão – nos últimos anos estão principalmente no Instagram, dando-lhe uma impressão muito jovem. Essa é uma das suas características marcantes. O que mais ele tem?

Ele é uma aplicação nativa móvel, que nasceu exclusivamente para o iPhone, mas que já pode ser usada em qualquer dispositivo. Foi criado para compartilhar fotos e filtrá-las. Hoje, você pode enviar vídeos curtos, histórias, adicionar adesivos, imagens ou vídeos com texto, máscaras, molduras etc. Também oferece uma opção para enviar mensagens privadas, conectar publicações com o Facebook e a lista continua e certamente continuará!

Em comparação com outras redes, tem crescido exponencialmente nos últimos anos. Por exemplo, enquanto o Snapchat passa por dificuldades, o Instagram dobrou seus usuários diários em cinco meses. Em 2018 alcançou 800 milhões de contas ativas por mês e 500 milhões por dia, acrescido de que 80% delas seguem uma empresa.

É uma ótima oportunidade para as empresas, você não acha?

Na verdade, ele está ganhando importância na publicidade. Em 2017, já tinham 2 milhões de anunciantes ativos. Agora, como fazer um bom marketing no Instagram? O que é aconselhado e o que não é? Vamos ver.

Espaços Instagramáveis

 

O Instagram está associado à qualidade estética, ao visual, ao casual e ao espontâneo, aos relacionamentos afetuosos, à parte humana de uma empresa. É por isso que, segundo a consultoria Statista, em 2016 mais de 95% das marcas de moda, beleza, relógios, jóias e viagens usavam o Instagram. Ele permite que você mostre seus produtos e serviços de maneira impactante e estabeleça um relacionamento com seus seguidores. Como aproveitar isso?

Gere eventos, histórias, experiências, use decorações em lojas ou crie espaços físicos de muito apelo visual, para que possam ser capturados e compartilhados rapidamente nesta rede. Ninguém resiste a fazer upload de uma boa imagem para o Instagram com a hashtag da marca!

 

Se por outro lado você tiver uma conta oficial e quiser enviar posts para o Instagram, lembre-se também que o essencial é a qualidade visual. Embora com a opção de Histórias ou transmissão ao vivo se aceite imagens menos preparadas, o design, as proporções e as cores são a chave. A má prática: é quase um tabu fazer upload de fotos iluminação ruim ou pixeladas

 

Conte sua história!

 

Em um mundo de jovens, o efêmero é uma tendência. As histórias duram 24 horas, são editáveis de várias formas, divertidas, dão a sensação de espontaneidade. Eles costumam postar com muita frequência, mesmo a cada poucas horas. Essa ferramenta permite uma comunicação fluida com os seguidores, que sentem que acompanham a marca permanentemente. Além disso, é útil para fazer pesquisas. Em resumo, seu uso convida os clientes e potenciais consumidores a interagir e fazer parte da comunidade da marca que admiram. O Instagram incorporou as histórias em 2016 e em apenas seis meses aumentou para 50 milhões de contas ativas por dia. De verdade, todo mundo  as usa constantemente! Não perca esta função!

 

Algumas delas podem até ser destacadas, ou seja, deixadas permanentemente. A chave: ideias originais, muita criatividade.

 

E as hashtags?

 

Por si só, acrescentá-las aumenta o engajamento e o número de seguidores. Ainda mais quando você faz isso conscientemente, investigando quais são as que estão na moda ou se relacionam beneficamente com a sua marca. Elas conseguem associá-la às tendências do momento. No entanto, não há nada tão positivo quanto criar sua própria hashtag: o nome de sua empresa, o slogan, o título de uma campanha. Isso traz personalidade, diferenciação e, por outro lado, seu negócio é descoberto mais facilmente, pois as pessoas podem usá-las em seus próprios posts. O total recomendado é de 3 a 15 por post. Não muito pouco, nem muito demais, mas depende do estilo que você usa. Claro: sempre relevante, com um significado específico. O “porque sim” não funciona.

 

Ainda está usando uma conta pessoal? Talvez seja hora de explorar a possibilidade de migrar para um perfil de empresa, onde eles fornecem ferramentas que não estão disponíveis para os indivíduos. Você pode se conectar à sua página de negócios do Facebook, adicionar dados como e-mail ou telefone, um botão de contato direto e obter métricas de atividade. Medir suas ações é um excelente método de aprendizado para conhecer o público e otimizar o conteúdo.

 

Siga uma meta

Sem estabelecer um determinado objetivo, o conteúdo será inconsistente, incoerente, sem valor ou confuso. É necessário publicar com um objetivo claro. Eu quero promover meus produtos ou o que meus clientes fazem com isso? Mostrar como é o dia a dia de trabalho do meu local ou o ambiente de trabalho dos meus funcionários? A essência da empresa? Desejo aumentar o tráfego para o meu site ou conversar com seguidores? Eu quero que seja um canal de vendas ou de serviço? Depois de tudo isso determinado, os esforços devem ser direcionados para o alvo estabelecido. Caso desejemos tráfego, colocaremos o link da nossa página na biografia. Ser claro sobre o ponto de chegada torna o caminho menos difícil!

A Apple, por exemplo, ao lançar sua conta oficial no Instagram, decidiu que faria upload de fotos e vídeos tirados dos iPhones, marcando os fotógrafos por trás da câmera. Ao mesmo tempo, ele lançou uma campanha chamada “Shot on iPhone”, que depois converteu em uma hashtag e encorajou seus usuários a compartilhar suas próprias imagens tiradas com seus smartphones da marca. A campanha #shotoniphone da Apple, além de ter um objetivo claro, desafia seus seguidores, os chama para a ação.

Faça links, mas não sobrecarregue

Dedique-se aos likes e aos follows, agradeça os comentários, converse com seus seguidores e convide-os a segui-lo em outras redes ou canais. Você também pode contar com influenciadores para promover seus serviços ou produtos. De forma geral, busque formar laços estreitos! Evitar a comunicação coloca você em um lugar remoto e frio. Mas, tenha cuidado: ser excessivamente insistente cansa seu público. O mais prudente é moderar o tom e o nível de abordagem. Finalmente, nunca, nunca deixe a conta inativa. Seja regular. O sinônimo de silêncio é estar morto, tanto no Instagram quanto em todas as redes.

Inscreva-se para receber as novidades do nosso blog. Temos notícias novas toda semana.

Quero receber as novidades do nosso blog


Escrito por Ixchel Ángeles
Me encontre: LinkedIn

ASSINE NOSSO BLOG

* *
*
*
*
*
Lead Source
*Campos Obrigatórios
Enter the Captcha
Reload
Ao enviar este formulário você concorda com a política de seguran